Estagiario Elo

O investimento e a possibilidade de ao final do estágio ir para outra organização são motivos a serem levados em consideração. São preocupações válidas, é claro, mas podem ser minimizada. Na atualidade, a competitividade é muito acirrada e, além da concorrência por clientes e fornecedores, as organizações também competem pelos melhores profissionais.

Mesmo não tendo um programa de estágio e trainees, se a organização contratar trainees e estagiários por meio de um processo seletivo efetivo, conseguirá filtrar aqueles realmente interessados em seguir carreira na empresa. Por outro lado, se mantiver um bom clima organizacional, um ambiente de trabalho sadio, lideranças diferenciadas, investir na formação deste profissional iniciante, lapidando seu talento e oferecendo oportunidades de crescimento na carreira, remuneração e benefícios, formará um capital humano de alto nível de performance e motivado a permanecer na empresa.

Mas este processo de seleção precisa ser bem detalhado, não exigindo experiência, já que estagiários e trainees buscam oportunidade de aprender e de aliar conhecimento e prática, mas buscando cursos que se encaixem nos objetivos da empresa e pessoas com as habilidades e competências necessárias à função. Outro ponto importante a ser observado é o perfil do candidato e as possibilidades de se integrar à equipe, se adaptar à cultura e trazer inovações.

O maior ganho de uma organização ao contratar adequadamente estagiários e trainees é a renovação, a inovação, a criatividade trazida por esses profissionais iniciantes que estão com todo o “gás”, que querem se sobressair e fazer a diferença. Isso motiva o restante da equipe, traz novos ares e muitas inovações, pois o intercâmbio entre o mercado e a sala de aula faz com que escolas e empresas evoluam constantemente.

Outro ponto interessante é o custo com a mão de obra. No Brasil, os investimentos e gastos com a contratação e manutenção de funcionários é enorme e, ao se contratar estagiários e trainees, com a Lei do Estágio (nº 11.788, de 25 de setembro de 2008), estes custos se tornaram menores, possibilitando maior investimento na formação e na preparação do profissional.

Também é importante o intercâmbio com os colegas e a prática focada e diversificada, ou seja, conhecer diversos setores e funções na organização para que se tenha o conhecimento integral do funcionamento da empresa, e a prática, muitas vezes supervisionada, de funções específicas da área na qual o estagiário está se formando. Vale lembrar que estes novos profissionais aprendem muito, mas também têm o que ensinar.

Criatividade, inovação, busca por melhores resultados, maior eficiência nos processos e efetividade nas estratégias são pontos fundamentais para uma organização crescer, se fortalecer e posicionar no mercado, e isso é possível ao se integrar “sangue novo” ao capital humano de uma organização.

 

You must be logged in to post a comment.